sexta-feira, 8 de agosto de 2008

E as Olimpíadas começaram

Como eu estava trabalhando, não vi a cerimônia de abertura. Vi algumas fotos. Parece que o evento foi muito bonito.
Na China, o alfabeto não é latino, portanto, acredito que as delegações entraram em ordem embaralhada para os padrões ocidentais. Gostaria de saber de quem o Peru entrou atrás.
E prevalescendo o bom senso, não houve boicote por parte de nenhum país aos jogos. Aliás, um eventual boicote não seria necessariamente ruim, porque qualquer um que boicotasse seria tão idiota a ponto de fazer falta nenhuma. Quem não gostou da escolha da sede que reclamasse em 2001. Não houve nenhum fato extraordinário entre o ano da escolha da sede e hoje, ao contrário do que houve um ano antes dos jogos de 1980, quando a URSS invadiu o Afeganistão. E comparar os Jogos de Pequim em 2008 com os de Berlim em 1936, tenha dó...
Nestas Olimpíadas, estou cagando para a política da China. Quero acompanhar os esportes, na medida que meu tempo permite.

O futebol masculino, nos Jogos Olímpicos, conta com algumas restrições, para não ofuscar a atenção aos outros esportes. Será que a partir de 2012 o COI vai decidir impor restrições ao tênis? Bom, limitar a idade dos jogadores em 23 anos vai produzir efeito menor do que no futebol. Ah, em 2012, os jogos vão ser em Londres, no verão. Certamente o Reino Unido vai escolher o piso de grama para as competições de tênis. Se todos as estrelas estiverem lá, vai haver na prática dois torneios de Wimbledon, um em seguida ao outro.

Chances de ouro do Brasil? Futebol masculino e feminino, iatismo, vôlei de quadra masculino, vôlei de praia masculino e feminino e mais algum atleta desconhecido. Quais serão realizadas? Nem vou chutar, porque erro sempre.

Um comentário:

CaroL disse...

Este ano, as Olimpíadas estão acontecendo em um momento bastante particular do tênis, então é natural que fique uma importância exagerada.

Mesmo assim, ainda é um esporte que dura somente uma semana e encerra dias antes do fim dos jogos. Pense no vôlei masculino, que tem o charme de fechar a parte dos ginásios enquanto a maratona encerra o atletismo.